APAGÃO NO ESPINHAÇO NÃO TIRA O BRILHO DA CULTURA POPULAR E JUVENIL DA TAPERA

#apagaoespinhaço #apagaocmd #culturadigital

No último fim de semana, o Centro Cultural Tapera real promoveu uma experimentação de memória social e web mídia – o Workshop de Cultura Digital. A atividade marcou o encerramento do projeto Ponto de Cultura Tapera Real, aprovado no Edital Lei Aldir Blanc 2021.

O experimento previa atividades mistas-presenciais, sem separar estes dois elementos, com transmissão remota em sua totalidade, pois um dos objetivos era testar a capacidade da parafernália de equipamentos e a perfomance dos agentes culturais em seu manejo. A inciativa contou com o apoio do Professor Leonardo Zenha/UFPA, cujo interesse de pesquisa e prática profissional é a relação entre as novas tecnologias, a cultura e fortalecimento dos processos educacionais. Coube ao mesmo dar início à programação na sexta-feira dia 24/09, com a oficina de podcast aplicada a salvaguarda do patrimônio imaterial. Esta atividade está disponível no canal do youtube do Estúdio Mídia Jovem e alguns de seus produtos podem ser acessados na plataforma soundcloud criada como resultado da oficina para hospedar os materiais (áudios) editados.

Raiane, Luiz e Érica na Oficina de podcast com agentes de cultura digital

No sábado 25/09 a programação teve continuidade com a web vivência de patrimônio imaterial associado ao turismo, com várias atividades cuja previsão era de transmissão simultânea. Todavia, a região do médio espinhaço ficou totalmente sem luz por cerca de 10 horas durante todo o sábado dia 25/09, compreendendo um extenso perímetro que incluiu as cidades de Conceição do Mato Dentro, Congonhas do Norte, Serro e Diamantina. Este imprevisto comprometeu a transmissão de parte das atividades e solução foi manter as mesmas presencialmente, fazendo o registro e edição para disponibilizadas posterior em formato virtual.

Destaque para o saboroso café da manhã que contou com café socado no pilão e torrado no fogão de lenha por Dona Marina, acompanhado pelos tradicionais biscoitos em forno de barro feitos pela Dona Almira e Dona Marilene.

Biscoitos caseiros pelas senhoras Almira e Marilene
Assados em tradicional forno de barro

Para completar o cardápio dos saberes gastronômicos taperenses expressivos da mineiridade, Queliane Souza nos brindou com uma requintada galinhada caipira. A tradicional sobremesa – mingau de milho verde – coroou a confraternização da comunidade, convidados, turistas, no ambiente informal da prosa à beira do fogão de lenha onde foram capturados áudios junto às pessoas da melhor idade na comunidade, detentoras de saber e portadoras de memórias relacionadas aos saberes e fazeres da roça. Este precioso material será indexado ao acervo do Programa de Valorização do patrimônio Imaterial Taperense do Estúdio Mídia Jovem para tratamento, edição e criação de novos projetos.

Após o almoço o fornecimento de energia foi restabelecido por pouco mais de meia hora, permitindo a retomada da transmissão da entrega das medalhas para as crianças e jovens que participaram da 1a. Gincana Digital.

Foi mais um momento de júbilo e alergia no dia, lembrando que todos os 47 crianças e jovens que participaram do projeto já receberam a bolsas e premiações ´financeiras.

Entrega de Medalhas

O encerramento da programação se seu através da live com o tema “Fé na Arte para a Ressignificação das Tradições em Tempos de Pandemia.” A previsão era de transmissão on line, mas o #apagaoespinhaço causou a interrupção da transmissão. Deste modo, foram feitos registros que em breve serão disponibilizados. Contou a com a presença de representes da Marujada de Congonhas do Norte (Srs. Joaquim, Antônio, José Reis) da Banda Retreta Lyra de Santo Antônio (Sr. Bento) e Pastorinhas da Tapera( Dona Gerolisa), além de Cloves Oliveira – Secretário de Cultura de Congonhas do Norte, Geordani Ottoni Coordenador do Centro Cultural, professor Leonardo Zenha/UFPA e Júlio Jader da GRIFT. Na ocasião foram discutidos o impacto da pandemia e outros temas relevantes para a salvaguarda do patrimônio imaterial associado aos festejos de Nossa Senhora do Rosário, Nossa Senhora de Santana, além de outras manifestações culturais expressiva da religiosidade popular do espinhaço.

Roda de Reflexão Criativa com suporte digital

O workshop de Cultura Digital constituiu-se em espaço performático e de e certificação dos agentes de cultura digital que atuaram no Ponto de Cultura durante o projeto da Aldir Blanc/MG – Alisson Duarte, Vanessa Reis, Luiz Henrique e Raiane, além do apoio geral de Vanessa Santos, agente cultural permanente do equipamento.

Experimento de Cultura Digital Juvenil

O Centro Cultural Tapera Real agradece todos os participantes, ao público presencial e virtual, aos parceiros e colaboradores do projeto Ponto de Cultura Aldir Blanc/2020. Em especial à GRIFT – projetos e consultoria em Humanidades, que ofereceu suporte técnico -metodológico para a execução. E também à Secretaria Municipal de Cultura de CMD, que através de convênio específico possibilitou a aquisição e melhoria nos equipamentos do EMJ.

Acerca do #apagaoespinhaco, cumprindo seu papel de canal alternativo de comunicação para populações muitas vezes invisibilizadas de áreas rurais, diante do silêncio dos meios de comunicação e do poder público, o portal Taperareal.org vem a público solicitar explicações sobre o ocorrido, considerando que os efeitos destes imprevistos extrapolam o campo da cultura e causam prejuízos aos comerciantes, produtores rurais e comunidades de um modo geral.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Venha expandir e se envolver nas ações integrativas do Centro Cultural Tapera Real!! Contribua!! Saiba mais!! Dispensar