Tabuleiro

Mais conhecido pelas suas belezas naturais, entre as quais se destaca a Cachoeira do Tabuleiro, maior de Minas Gerais com 273 metros de queda e cuja forma remete a um Coração, o distrito também se destaca pela beleza de sua gente. O biótipo dos moradores testemunha a descendência dos habitantes originais botocudos e dos negros aquilombados, sendo que até mesmo uma das localidades do Tabuleiro é conhecida pela toponímia de “Quilombo”. Também estão presentes traços dos europeus que vasculharam a região para a cata de ouro e outros minerais precisosos, não apenas portugueses, como alemães e holandeses. Acerca deste processo de mestiçagem é comum entre os mais idosos o relato de que “minha avó foi amansada no laço” ou (…) ” amansada no pé de limeira” (…). Tratam-se referências claras ao modo como se deu a subjugação da população nativa, ao lado da violência imposta aos africanos escravizados. Mas tudo isso hoje foi transmutado, pois o distrito se caracteriza pela alegria festiva, diversidade e hospitalidade. O caráter bucólico do vilarejo tem atraído nos últimos anos jovens, artistas, profissionais que elegeram o Tabuleiro como lugar para viver ou sitiar.

Muitas hipóteses são levantadas acerca da origem do nome do povoado. A mais corrente na memória oral remete às mulheres que se dirigiam a pé até a sede equilibrando um Tabuleiro na cabeça para a venda de doces e quitandas. Outras versões associam a alcunha do lugar com características da paisagem geográfica.

O distrito possui uma rua principal que concentra a maior parte do comércio – bares, mercearia, lanchonete, padaria e pousadas. As edificações tradicionais de adobe vem sendo progressivamente modernizadas por outras de alvenaria, como resultado do incremento do turismo e para melhor atendimento da clientela deste ramo de atividade.

Antiga edificação na rua principal do distrito (2011)
Antiga edificação (hoje modernizada) na rua principal (Júlio Jader,2011)

No alto da colina está a Igreja do Sagrado Coração de Jesus, onde é realizada anualmente a tradicional Festa de Nossa Senhora do Rosário.

Caboclos do Serro em frente à Igreja do Sagrado Coração de Jesus
Festa de Nossa Senhora do Rosário – Tabuleiro (Júlio Jader, 2017).
Marujada de CMD e Boi da Rede na Festa de Nossa Senhora do Rosário – Tabuleiro
(Júlio Jader, 2017)

O Tabuleiro nos brinda ainda com um Roteiro dos Festejos do Santo Cruzeiro, realizados anualmente entre os meses de Maio e Junho, com ampla mobilização da comunidade e uma riqueza de histórias orais e casuísticas associadas, antecedendo a tradicional caminhada a pé dos moradores até a sede para a celebração do Jubileu. Entre os os festejos nos cruzeiros destacam-se: Vargem , Charco, Quinzim, Crispin Rosa, Bia, da Cava e Cruz do Cabeludo (Mata da Paraúna).

Cruz do Cabeludo (Mata da Paraúna) – Enfeitada para a Festa (Júlio Jader,2018)

Dada sua importância paisagística e cultural, o Tabuleiro vem recebendo nos últimos anos um crescente número de eventos culturais. Já foram realizados dois Festivais de Música (2014/2015), com ampla participação de turistas, comunidade e premiação de artistas; um Encontro da Rede de Povos do Espinhaço (2016), com a presença de Guardas/ Reinos do Rosário e comunidades tradicionais de toda cordilheira, incluindo quilombolas e indígenas. Estes eventos estão relacionados com o desenvolvimento do capital social da comunidade, sobretudo na última década, em que verificamos o surgimento de ações e grupos como a Feirinha, Grupo de Mulheres Raízes do Tabuleiro, Rádio Comunitária, Bloco de Percussão Quebra Tabu, renovação da associação comunitária – ASCOTA, empreendimentos econômicos familiares de moradores nativos, etc. O Tabuleiro ainda recebe eventos oficiais promovidos pelo poder público, como o Projeto Matrix e o Festival de Jazz. O local possui ainda um campo de futebol, para lazer da comunidade e onde são realizados shows.

Brincadeiras de Roda no Festival de Música – Feirinha do Tabuleiro (Júlio Jader, 2014)

Extratos e cosméticos do Grupo de Mulheres Raízes do Tabuleiro –
Mercado Municipal de Conceição do Mato Dentro

(Foto Facebook Grupo Raízes Tabuleiro, 2017).

Um outro fato curioso que tornou conhecido o Tabuleiro é a abundante casuística ufológica, os contatos variando desde avistamentos até mesmo abduções, que teriam ocorrido principalmente nos anos 80 do século XX.

OVNIS no Tabuleiro

Criado por meio da Lei Municipal nº 1.741 em 30 de setembro de 2003,
o distrito de Tabuleiro tem 1166 habitantes (Censo 2010/IBGE)

Texto e Montagem: Júlio Jader Costa – Grift Espinhaço S/A. 2019

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *